Wednesday, 15 March 2017

No colo do amanhecer


6 comments:

João Menéres said...

Eu sei quem está a pedir um colinho !...

joaquín said...

Precioso el contraste entre lo que muere y lo que empieza a reverdecer

Minimal said...

Muy bonita, un poema sobre la vida y la muerte.

Un abrazo.

Remus said...

De manhãzinha, a L.Reis que fique deitadinha na caminha e não ande a fazer trabalhos destes. Ou em alternativa, se quiser mesmo aquecer os ossos, vá somente tirar ervas para o jardim ou plantar couves no quintal, mas deixe a câmara dentro de casa. Estamos combinados? Ou será que é preciso tornar a coisa mais ameaçadora?
É que eu não tenho a mais mínima forma de lutar contra fotografias destas. Para mim, tirar fotografias de manhã é uma tarefa hercúlea. Por mais que tente, por mais planos que faça, a cama acaba sempre por ganhar.
:-P

Na fotografia, o pormenor do orvalho está visualmente deslumbrante. E mais não digo, porque não lhe quero dar esse gostinho.
:-) :-D

Rasuras do Aparo said...

... haverá manhãs que se atrevem a proporcionar um tal colo ... por vezes madrugador tento provocá-las ... um pouco mais enxutas ... um pouco mais salpicadas dessas gotas de água ... que lhes saciam a sede ...

Ana Freire said...

Uma imagem lindíssima...
Preferia que aqueles dois raminhos de cima, não estivessem lá...
De resto... uma imagem onde apetece repousar os olhos, nesta caminha de trevos... a procurar um de 4 folhas... já agora...
Uma maravilha!
Bjs
Ana