Monday, 13 November 2017

O chão que me prende


9 comments:

DiDa said...

Mesmo que nao seja sempre o mesmo. Sempre colocamos os pés no chão. Porque há momentos para voar e outros para ficar seguros ao nosso ancoradouro.

Rasuras do Aparo said...

... um chão prenhe de um azul cujas amarras ainda se fazem sentir em busca de laivos de rosa em dias que foram cheios de gotas prateadas de emoções ...
( há fotografias assim em que existe um borbulhar de emoções cristalizadas ... um muito obrigado por esta ... )

ñOCO Le bOLO said...

·.
¡Ya estoy aquí!
Es estupendo que mi regreso sea para encontrarme con tus excelente fotografías.
Poco a poco iré visitándolas con calma e iré "poisando pensamentos às cores"

abraços

· LMA · & · CR ·

Remus said...

Que o chão a prenda, tudo bem e até acho muito bem. Até convém que exista alguém ou algo que a prenda e que não a deixe andar a fazer o que bem quer.
Mas agora, entre o prender e o não perder a oportunidade para andar a tirar fotografias, ainda vai uma grande distância. Na minha santa terrinha, quando alguém fica preso, fica mesmo preso. Fica com a rédea curta. Não anda com a sandoninha a dar a dar e a tirar fotos! Mas agora é tudo diferente. As pessoas são presas com todos os luxos.
:-D

Enquadramento irrepreensível, numa fotografia graficamente muito apelativa. Em certa medida, até faz lembrar uma farol...

Ana Lúcia said...

Não entendo como foi feita, mas rendo-me, fiquei presa à foto. Muito boa mesma.

Rute said...

As tuas fotografias conseguem sempre surpreender-me! É impressionante que não tires uma fotografia boazinha, ou mais ou menos...Não! Têm sempre que ser " brilhantes"...Adorei, adorei!

Beijinhos Lina :)

Enrique Chapín said...

Unos reflejos magníficos, con unas texturas fantásticas.

Enhorabuena, Lina.

L.Reis said...

Ana Lúcia
Era uma tábua que estava molhada (vá-se lá saber por que razão apenas uma das tábuas do chão estava molhada...) e o reflexo que nela incidia era este :)

Obrigada a todos!!

Ana Freire said...

Espectacular foto! Deste chão, que soube prender a atenção, sobre ele mesmo...
Muito bem visto, Lina!
Bjs
Ana