Tuesday, 15 November 2011

4ª nota de rodapé [4th Footnote]

...e acordar assim, sem verbos para conjugar.

12 comments:

João Menéres said...

A culpa foi da turbulência do vôo de ontem...
Mas, amanhã, encontrarás o trilho para a conjugação.

Não te esqueças, L. REIS !


Um beijo.

Rute said...

Esta nota de rodapé parece esvoaçar largando palavras soltas na correnteza do céu...LINDA!

1 beijinho:)

Helder Ferreira said...

Como uma serpente...

Margarida Belchior said...

... somos nós a deixarmo-nos levar ... sem mais ao sabor do vento, das correntes ascendentes e descendentes ... planando ...

... ó quem dera!! ... :-))

Beijinhos mto grds

Fábio Martins said...

Parece um saca-rolhas de papel!

lifeontheviewfinder said...

És um verdadeiro poço sem fundo de criatividade.

mfc said...

Espiral de imaginação!

FAIRES said...

Que bem que brincas com as letras e com as palavras... as imagens são verdadeira poesia, e cada uma delas um verso de um poema.
O poeta sofre, o poeta sente, o poeta pensa e o poeta faz... Naão sei se sofres, mas sentes, pensas e fazes... e que bem que tudo executas..

Calusarus said...

Because of its curves, this story is difficult to understand :-)

Anonymous said...

... e nesse acordar ...
camaleónicamente o deixei a cor azul ... para permitir ... o seu logo abraço ...
T

Anonymous said...

longo ...
T

Remus said...

Esta faz lembrar uma árvore de natal.
:-)

Já nem tenho palavras para comentar as fotografias e já começo a cair no ridículo.