Thursday, 13 December 2007

Electroescrita [Electric writing]

Às vezes é preciso ter um lápis de luz...            [Sometimes we need to have a pencil of light]

Para riscar                                                             [To scratch ]
o bordado pesado e negro das horas...                [The heavy and dark embroidery of the hours]
Para escrever,                                                        [To write]
na estranha linguagem do impossível.                [in the strange language of all impossible things]

20 comments:

Ruela said...

A foto está boa...mas as palavras tocam mais.
Excelente.

Rowdy said...

Cool one Lina

Eduardo P.L. said...

Vagalumes alfabetizados!

Andrea said...

I'm crazy for this picture and the words you found for her...

standley said...

Very nice abstract. I like it

roland said...

The picture is really nice, and the words that go with are so true ! I do like both of them Lina !

Gi said...

Comentei os outros mais abaixo, neste vou ficar a reflectir sobre o que escreveste.

beijos

José-Angel (http://jasdg.shutterchance.com) said...

Que te puedo decir? Que has escrito con luz de neón las siempre bonitas palabras y reflexiones que nos haces!

Sidney said...

Nice effect !

Ginnie said...

It's a magical thought, Lina; it's a magical image!

Remus said...

Belo resultado.
As tonalidades e o efeito estão fantásticos.
Parabéns.

Oswegan said...

This is a neat idea, very thought provoking.

~Oswegan

alek said...

when the light thief stuck out his tongue all manner of words
agglutinated to it, delivering webs of light

oskar said...

faiscam raios de luz nas palavras...largas horas passadas sem movimento...
caminha sempre nas sombras que o lapis deixa...

Julio Cesar said...

adore esta foto!

Imaginerf said...

Even the text is poetic on this wonderful shot !

Imaginerf said...

Even the text is poetic on this wonderful shot !

Anonymous said...

Pensar ... objectivar .... descobrir ... aquilo que os outros provocam em nós.. pode ser a catapulta essencial para colocar em movimento um lápis fluorescente que por vezes adensa o negro das horas na ânsia de lhes dar colorido fazendo do impossível texto, algo de belo e concreto ...
T

Al said...

... Que con su escritura nos contaba histórias de niños y grandes.
Histórias llenas de luz...

Anonymous said...

...e a minha pena continua louca...tão louca quanto a minha imaginação...tão louca quanto eu...mesmo sem linhas...mesmo sem compassos...loucamente louca...ainda procurando sinais de luz em sombras desenhados