Friday, 28 October 2011

Poesia de papel -10º e último verso [Paper poetry-the last verse]

...escritos  entrededos
longe
tão longe
dos dias que nascem em contramão

14 comments:

Anonymous said...

asas de pássaros...entrecruzando-se....
@

the dear Zé said...

paraentender o papel que a poesia tem nesta, casa...

deslumbrante série

bêjo

joaquín said...

Ha sido una serie memorable, imaginativa y realmente poética. Enhorabuena

Anonymous said...

Pena ter acabado, porque é um desafio "olhar com você".
Mas se esse é o seu 10º mandamento... concluo com: A sua forma de expressão é muito consciente!

Inté.

Minimal said...

Ha sido una grata sorpresa descubrir tu blog, unos trabajos excelentes.

Si no te molesto por aquí me quedo a disfrutar.

Un abrazo.

João Menéres said...

Se os dedos de uma mão são diferentes entre si, estes
ESCRITOS não nasceram em CONTRAMÃO.

Engenhosa a forma como firmaste lateral e superiormente a estrutura !

Não é assim de tão longe que te escrevo o beijo.

Rute said...

...este último poema parece-me um bailado...mais ou menos " O Lago dos Cisnes"...LINDO!

E muitos parabéns por esta série cheia de verdadeira arte poética.

1 beijinho e 1 bom fim-de-semana:)

mfc said...

Uma série imaginativa e linda!
Do melhor que tens feito!
Beijos.

Calusarus said...

Very nice use of lighting.

Anonymous said...

clap ... clap ... clap ...
T

Helder Ferreira said...

Eu vejo gaivotas :) Um bando delas. :)

Série maravilhosa!! :)

Clarice said...

parecem abraços de gaivotas...

Margarida Belchior said...

... vejo a superfície do mar com ondas que se entre-cruzam, ao sabor de brisas e ventos, enquanto oiço em fundo o bater das ondas na areia.

Parabéns por esta magnífica série.

Bjs grds

Remus said...

Ufa!
Sou um sobrevivente. Consegui sobreviver a dez excelentes, geniais e originais fotografias.

Vou mandar estampar umas T-shirts a dizer: «Sobrevivi à poesia em papel da diabólica L.Reis!»
Alguém também quer?
:-P :-P

Muitos parabéns!