Saturday, 18 July 2009

Caminho descontínuo [Descontinuous path]

14 comments:

Caçador said...

Úi, gosto mesmo desta com esse p&b poderoso a rasgar o ecrã e...
assim somos nós (eu, pelo menos): ligados desligados
ligados desligados
ligados desligados
ligados desligados
...
como o raio da vida

Olha, deixa, beijo.

Anonymous said...

Exercício:
Com vermelho, represente a traço interrompido as arestas invisíveis

©tossan said...

Siga em frente quem sabe a paisagem muda! Bela imagem! Abraço

Vou de coletivo! said...

Olá!
Aqui quem fala é o Murilo, dos blogs Palavras de Osho e Os nascimentos das palavras.
Assim como você e dezenas e dezenas de outros amigos blogueiros, eu participava das blogagens coletivas do Tertúlia Virtual, belíssimo projeto de promoção de blogagens coletivas que infelizmente chegou ao fim em julho de 2009.
Para mim, a inicitativa do Tertúlia foi responsável pela realização de muitas das melhores blogagens coletivas da blogosfera em língua portuguesa.
A idéia de a cada mês reunir blogueiros em torno de um tema foi tão bem-sucedida que não podemos deixá-la morrer.
Para colaborar, lancei o Vou de coletivo!
Todo dia primeiro do mês será proposto um tema para ser abordado por blogueiros por meio de textos, imagens, vídeos e o que mais a criatividade permitir.
Assim que o tema do mês é apresentado, é aberta uma lista de inscrições. Basta você inscrever sua postagem que automaticamente será inserido um link para ela na relação de participantes. As inscrições ficam abertas o mês todo.
E você, gostou da idéia? Espero que sim!
Então não vamos perder o embalo. Logo sai o primeiro coletivo de 2009! Clique aqui e acesse o Vou de coletivo!
Abração!

ruimnm said...

Adorei esta imagem e o grão da estrada dá-lhe uma textura interessante.

L.Reis said...

Caçador: assim mesmo: como o raio da vida!

Anónimo: E depois de as pintar de vermelho?

João Menéres said...

Não encontro definição melhor do que a do CAÇADOR, para esta tua imagem tão impressiva:

"COMO O RAIO DA VIDA"

Se não é o asfalto que a ferver queima os nossos pés, é o areão que os faz sangrar.
Caminho sempre permanentemente interrompido!
Não são ilhas feitas oásis, não.

São as contas de um rosário que nos leva a cumprir penitência.

Beijo.

Calusarus said...

A very nice find

in_side said...

[ pé ante pé

salllllllllllllllllll

to,




*

Clarice said...

... como o raio da vida...
Que coisa!!!

Anonymous said...

O raio da vida ... por vezes feito de incidências e coincidências ... outras nítidas evidências ...

O raio da vida que por vezes teimamos em calcorrear evitando traços rectílineos ... como que querendo apagar memórias ... na linha ... do raio da vida .
T

Marie said...

c'est très bien observé !

Remus said...

Enquadramento irrepreensível deste caminho salpicado de açúcar (eu sei que não é, mas eu imagino aquilo que quiser e ninguém tem nada que meter o bedelho :-)).

Michael Rawluk said...

I like this a lot and the processing is excellent.