Wednesday, 21 February 2007

Perspectivas da escrita

Beijos são pássaros na boca e no olhar, levantando voo em cada breve alvorada.
Por vezes poisam
Por vezes pairam
Por vezes perdem-se,descuidados, em meridianos difusos de espera e demora.
Mas voltam sempre...
Regressam, sem pressa, ao destino de apenas serem.
Que importa que se diluam em céus tempestuosos, se forem talhados na filigrana de luz de um momento qualquer?
Que importa que a linha do horizonte se quebre e o vento rasgue o crepúsculo?
Que importa que os dias se quedem...incolores?
Se forem pássaros, regressarão... numa brisa de vontade
À sua espera estarão as pedras e quem sabe e não esqueceu, o sabor do seu canto.

2 comments:

Anonymous said...

Serão sempre aquelas que os sentidos proporcionam em toda a sua flexibilização, dor e encantamento

Amoroso

cristina said...

Sublime,levitei...Mishi