Monday, 22 June 2009

Não tocar! [Do not touch!]

13 comments:

Sandra Rocha said...

Também não tenho vontade de tocar :)
Magnifica.
Beijos.

Ana Lúcia said...

Nem era preciso avisares, prefiro só admirar a tua fotografia.

ruimnm said...

Excelente macro com umas cores atraentes.

vz-nostalgia said...

...I feel imaginary pain...

November 23, 2007 :-)

Anonymous said...

Há sempre um pedaço onde um dedo pode tocar...

#@&

João Menéres said...

Eu tenho tendência para me picar.
Já estou habituado...
É bom picar-me por bons motivos!

Bj.

Caçador said...

Porque não? E se eu quiser, se quiser, não tocar mas, agarrar o tronco, apertá-lo na mão, cerrar a mão no tronco com força e devagar, para sentir os espinhos penetrar a pele, a pouco e pouco, os espinhos a entrar e a ver o sangue surgir de repente da pele, de dentro da pele, o sangue a escorrer e tingir, ainda mais, o vermelho do tronco, a mão fechada, coroa de espinhos no interior, sentir os espinhos, sentir o grito de vida da dor. Sentir.

Teresa Durães said...

excelente título!

Chapa said...

Desta vez, prefiro obedecer. A transgressão que sempre me atrai, tem aqui um significado demasiado doloroso.

Anonymous said...

A eterna dualidade entre a razão .. e a alma ... será sempre esta última a decisora...
T

L.Reis said...

CAÇADOR: E porque não?...sei do que falas...

Remus said...

Caçador e Lina: Vocês são masoquistas? Gostam de sentir dor?

De repente até parece que fiquei com as mãos a doerem-me. :-|

O tom avermelhado, realçou ainda mais a visualização dos espinhos.

Anonymous said...

Às vezes, de intenção, ela se picava. Ficava a ver a gota engravidar no dedo. Depois, quando o vermelho se excedia, escorrediço, ela nem injuriava. Aquele sangue, fora do corpo, era seu desvairo